Postado por em out 15, 2012 | 20 comentários

Imagem: Mike Licht

Ser dona de casa hoje em dia é polêmico.

Quem nunca sentiu um olhar torto ao dizer que é dona de casa? Até mesmo quem é dona de casa por decisão própria e com orgulho, toma certo cuidado ao dizer em voz alta sua profissão. Eu sei porque eu também faço isso. Dependendo da pessoa com quem eu falo eu já sei que vai me olhar feio e vai achar que trabalhar em casa é igual a não fazer nada o dia todo. E sabe que eu vejo esse olhar mais em mulheres que em homem?!

O título “dona de casa” traz muitos estereótipos. Por exemplo:

- dona de casa só sabe fazer limpeza e pilotar fogão;
- dona de casa fica de pernas pro ar e tem um trabalho muito fácil;
- dona de casa é submissa.

E assim vai, os títulos são diversos e totalmente injustos. A dona de casa dos anos 50 tinha uma imagem de esposa perfeita, casa sempre limpinha, comida na hora certa na mesa, impecável para o marido… Mulheres de carreira, naquela época, não eram tidas como boas esposas. A obrigação em ser dona de casa não era uma coisa agradável para muitas, então veio a revolução.

Mulheres queimaram sutiãs, foram as ruas e exigiram poder trabalhar fora e escolher carreira. Elas conseguiram. Ao exigir o direito de trabalhar, gerou-se uma certa obrigação de fazê-lo, do contrário você estaria contra os princípios de quem lutou por seus direitos de sair de casa… Aí é que tá… O direito, deveria ser o de escolha!

E como ficaram as que ainda preferiam ser donas de casa? Sim, existiam as que queriam ficar em casa! Adquirimos a obrigação de trabalhar fora e ainda continuar mantendo a casa, ou podemos escolher fazer bem uma coisa, o que mais gostamos? Creio que passamos pelos dois extremos: a obrigação de ficar em casa e a obrigação de trabalhar fora. Agora estamos tentando achar um meio termo para tudo isso. A mulher poder trabalhar fora, implicou em muitas mudanças para toda família e só agora estamos conseguindo equilibrar os direitos e as obrigações.

Vamos analisar. A dona de casa limpa a casa sim, mas também cuida de finanças, moda, decoração, jardinagem, sabe instintivamente sobre psicologia (só assim para lidar com as crianças, o marido que chega irritado do trabalho e conseguir um lar equilibrado), sabe lidar como ninguém com o tempo e organização das tarefas… Essas são apenas algumas das várias faces que a dona de casa tem e que nem todo mundo repara, porque além de tudo, a dona de casa é modesta.

A dona de casa de hoje em dia, é uma mulher dinâmica, não é aquela figura de mulher de avental dos anos 50. Ela lida com computador, tem blogue, faz artesanato, decora a casa e dá dicas disso pela internet… A dona de casa não é a “Amélia” que muitos ainda pensam ser. Somos mulheres batalhadoras e cheias de vida, somos muitas Danis, Renatas, Elos, Carols, Fernandas, Marias… Estamos em casa equilibrando a família, cuidando das crianças, criando e reinventando, e compartilhando tudo isso para uma vida cada vez melhor, para que um dia as mulheres possam escolher com orgulho qualquer carreira que quiserem, mesmo que seja a de “dona de casa”.

{Carolina G. R. Szabadkai}
Colunista